Como ensinar o cão a passear

Confira quatro dicas de dogwalker para ter um passeio mais tranquilo

1 – Entenda o que seu cão sente sobre a coleira. Essa é a primeira coisa que nós ensinamos no nosso curso profissionalizante de passeadores de cães. Qual é a relação do seu pet com a coleira? Ele gosta? Ele detesta? Se ele não se sentir bem na coleira (e isso é mais comum do que imaginamos), ele já vai sair mais agitado do que deveria. Além disso, nos primeiros puxões que ele der, o desconforto pode aumentar e a agitação do seu pet vira uma bola de neve.

Se ele adora a coleira, mas fica muito empolgado ao vê-la, também é importante acalmá-lo antes de colocar o acessório para que ele consiga controlar as emoções e sair mais focado e tranquilo. De todo jeito, o passo 1 é o mesmo: aprenda a colocar a coleira no seu cão numa boa.

2 – Ensine seu cachorro a não puxar. Os cães aprendem a puxar a coleira, sabia? Eles acabam entendendo que, assim que puxam, conseguem ir para a frente. Não é uma questão de medir forças com o dono: é um simples aprendizado de ação e reação. Por isso, precisamos ensinar o contrário: assim que ele parar de puxar, a guia fica frouxa e vocês caminham. Assim, sempre que a guia esticar, ele vai entender que é hora de esperar um pouco.

3 – O aprendizado tem níveis diferentes de dificuldade. Não é porque seu cachorro aprendeu a andar sem puxar a guia dentro de casa que vai sair na rua andando bonitinho. São muitas distrações lá fora e você precisa ter paciência para que ele consiga assimilar isso aos poucos. Se ele não conseguir parar de puxar em um determinado local, é porque as distrações são grandes demais e seu pet não dá contra de prestar atenção na guia lá. Volte para um local mais fácil (mais tranquilo).

 

4 – Descubra o que motiva ou dá medo no seu cachorro. Depois de aprender a não puxar a guia, seu cachorro pode, mesmo assim, ficar agitado em determinadas situações: quando vê outros cães ou pessoas, quando passa uma moto etc. Isso vai fazer você entender o que motiva ou dá medo no seu cão a ponto de ele ter que reagir com rosnados, latidos ou querendo passar correndo naquele local. E não tem nada a ver com desobediência, mas sim entender o que traz emoções ao seu cãozinho e como trabalhar isso para que ele se acostume aos poucos com nossa rotina maluca nas cidades. Legal, né?

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: